quarta-feira, agosto 28, 2013

Discrimina e depois pede proteção divina?

Vem uma pessoa e posta no Face:


Me perdoem se for inclemente, mas não, eu não perdoo. Sério, não dá. A criatura está juntando preconceito atrás de preconceito e acha que ninguém vai criticar? Li que ela tentou se defender e até saiu do Facebook. Gente, vamos crescer? Toda ação vai gerar reações. Isso é tão básico.

Se tem uma coisa que nós estamos aprendendo nessa vida é que pouco a pouco a possibilidade de ter voz não te dá mais o direito de falar merda e ficar impune, ao menos socialmente. Claro, isso não elimina a amnésia do povo (duas semanas e quase ninguém ia lembrar dessa fala infeliz) e nem magicamente faz com que o bando de mal caráter que deve ter curtido e aplaudido essa frase mude a cabeça. Ainda assim, desculpa se tu não consegue aguentar o tranco de ter feito um comentário absolutamente racista e agora ter gente te criticando.

Esse é o problema com nós privilegiados (apesar de raposa e viadinho, sou branco, loiro, classe média etc.): nós não estamos acostumados a sermos questionados sobre nossas posições ou comportamentos. Quer queimar mendigo na rua? Beleza, papai protege. Tem bandinha e quer estuprar? Mídia esconde. Só que se tem uma coisa que a internet ajuda na vida é em ampliar o alcance das vozes por aí. Esses dias alguém falou que a diferença está grande demais para continuar invisível. É isso mesmo, filhote: o mundo pode não mudar com esse tanto de gente xingando no Twitter e no Facebook, mas pelo menos a gente não vai sofrer em silêncio (e isso já muda o mundo).

Nota: digo "a gente" porque mesmo não sendo negro, cubano ou "com cara de empregada doméstica" (nem sei que cara é essa, mas né), eu procuro me enquadrar no mesmo quadradinho que a galera que está vindo de Cuba para cá: eu sou ser humano. De boa? Não sei se posso dizer a mesma coisa de quem pede proteção a Deus para ser preconceituosa.

2 comentários:

Pattr!cia disse...

Então agora médico tem postura? Para desfilar no hospital né?! Affe
Médico tem que ter postura profissional para ajudar salvar ou curar quem está precisando e não cara de alguma coisa.
Talvez ela esteja acostumada a ver que no nosso país, grande parte dos médicos são ricos, pois essa grande parte são formados em faculdades particulares, e uma mensalidade aqui na minha cidade é de R$ 4.000,00. Essa é a realidade dos cubanos? Se esses que pagam R$ 4.000,00 de mensalidade tivessem mais amor na profissão, não precisaria trazer médicos de fora para colocar em lugares mais afastados do nosso país.
Moro bem próxima a SP Capital, e na cidade vizinha a minha, a prefeitura abriu concurso para médico pediatra e não teve inscritos!!!! Isso em São Paulo. Imagine a situação para as regiões mais afastadas.
A classe médica se revoltou com isso, mas onde estão trabalhando os médicos formados? em seus consultórios cobrando R$ 500,00 a consulta particular, enquanto um salário na prefeitura deve ser um pouco a mais de R$ 6.000,00.
Cara de empregadinha doméstica... eu quero ser atendida por uma empregadinha doméstica (de onde ela tirou isso?) Do que por um cara de postura que só sabe dizer: É virose.
Sim foi isso que eu ouvi, é virose, enquanto que na verdade eu estava tendo uma cólica renal e três dias depois fui submetida a uma cirurgia de emergência.

Bêjo

Ben Oliveira disse...

Além de faltar ética, acredito que o que falta é um pouco de reflexão sobre o que dizemos, fazemos, olhamos, vivemos, vivenciamos em nossos cotidianos. A mesma internet que ajuda na disseminação de conhecimento é aquela que promove a ignorância. Shame!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...