sexta-feira, fevereiro 15, 2013

De onde vem a violência

O que leva alguém a agir de forma violenta? Ontem, no ônibus, por exemplo, um moço apertou a campainha para descer e o motorista não abriu a porta. Não era exatamente culpa de ninguém, a campainha não estava funcionando. O que o moço fez? Bateu várias vezes na porta e gritou xingando o motorista.

Acho que duas coisas precisam ser percebidas sobre o que está envolvido em ser violento. A primeira delas é que a violência é um exercício direto de poder. Se tu tem força e bate em alguém, está demonstrando da forma mais clara possível que está numa posição superior a ela. Se apanha, é inferior. Simples assim. Idiota, também, mas não deixa de ser simples. Certo, então não tem nada de cultural nesse exercício de poder? Pelo contrário. Na nossa sociedade, tu te torna tanto mais poderoso quanto consegue exercer a força sobre outro sujeito e continuar sem que ninguém exerça força sobre ti.

Exemplo básico: se tu me bate e a polícia te prende, teu poder foi castrado. Se o marido bate na mulher e no dia seguinte bate de novo, porque ninguém faz nada, o cara é o poderoso impune (naquele contexto).

Claro, não é tão simples. Nunca é tão simples, principalmente porque aqui entra a segunda coisa relacionada à violência: ela é uma reação emocional a algo. Não tem nada de racional em ir lá e bater em alguém que xingou a tua mãe. Talvez haja algo de bem pensado em matar alguém, já que eliminará um potencial estorvo, mas não estou falando de homicídios aqui (embora a base me pareça a mesma, apenas ampliada um pouquinho – bem pouquinho, pois é só bater um tantinho mais para matar. Somos seres frágeis).

Fonte: http://uwb2ms.blogspot.com.br/2010/05/school-violence.html (em inglês)

Se algo nos incomoda, o que nós fazemos? Reagimos. Qual é a reação esperada de um ser humano adulto e racional? Conversa, diálogo. Invocar as autoridades (elas têm o poder, né?). Enfim, participar do jogo social. Se algo nos perturba profundamente, o que fazemos? Como reagimos? Gritamos, xingamos, esperneamos. Ligamos para os amigos ou reclamamos no Facebook. Se alguém vai lá e nos impede de exercer nosso poder, qualquer que ele seja, a gente reage. A gente se emociona. Dependendo de quão capacitados nós estamos para lidar com nossas emoções, a reação pode se tornar violenta.

Em resumo, a violência é uma reação de reafirmação de poder por parte de sujeitos emocionalmente instáveis e, por isso mesmo, perigosos.

2 comentários:

Sara Cerq disse...

As vezes me sinto mal por tratar alguém de forma rude, ou até mesmo de ter elevado o tom de voz(além de achar falta de educação, acho falta de controle próprio), não imagino como alguém consegue ser violento e tratar as pessoas mal todos os dias, como se fosse um passatempo divertido(pelo que vejo nas ruas, parece que algumas pessoas gostam de humilhar as outras). Acho que quando alguém se satisfaz mentalmente encima da infelicidade e da humilhação alheia, precisa começar a enxergar isso como um problema, coisa que a maioria não faz.

Tales Gubes disse...

Concordo contigo, Sara. Por mais que eu ache que essa questão do "autocontrole", ou do controle, seja muito delicada e precise ser constantemente revista e repensada, repito o que já disse em outras oportunidades: violência não pode.

Li hoje um cartaz ótimo na internet. Dizia assim: "violência não é solução, violência é problema". Disse tudo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...